top of page

Mulheres de 50, produzido pela Jabuticaba, é top 3 entre os podcasts de saúde, ciência e bem-estar

Atualizado: 5 de dez. de 2023


Prêmio Einstein destaca os profissionais e os veículos +Admirados da Imprensa especializada. Votação teve dois turnos com a participação de jornalistas, especialistas de comunicação corporativa, marketing e publicidade.


Maria Tereza com a placa de Top 3 em podcasts


Em sua terceira edição, o Prêmio Einstein +Admirados da Imprensa de Saúde, Ciência e Bem-Estar, iniciativa do Hospital Israelita Albert Einstein realizada com o apoio da editora Jornalistas&Cia, especializada em notícias e serviços sobre os mercados de Jornalismo, Relações Públicas e Comunicação Empresarial, homenageou 39 jornalistas e 29 publicações. Na abertura do evento, Débora Pratali, diretora de Comunicação Institucional do Einstein, valorizou o trabalho da imprensa de levar informação de qualidade e com responsabilidade para a população. “Precisamos estimular cada vez mais a cobertura de ciência e saúde no Brasil. A cobertura desse setor deve ser intensificada e ganhar mais destaque”.



O Mulheres de 50 foi top 3 ao lado do Ciência Suja e do DráuzioCast, do médico Dráuzio Varella. Os vencedores foram conhecidos em cerimônia no dia 4 de dezembro. "Estar entre os três melhores já é uma vitória imensa para nós, ainda estando ao lado do Ciência Suja e do doutor Dráuzio, duas referências neste segmento", diz Maria Tereza Gomes, 58, CEO da Jabuticaba Conteúdo. O DrauzioCast (Podcast) ficou com o troféu como podcast mais admirado de 2023. Entre outras publicações premiadas estão Agência Brasil (Agência de Notícias), BBC News Brasil (Canal Digital), Saúde em Foco/CBN (Programa de Rádio), Fantástico (Programa de TV), Pesquisa Fapesp (Veículo Especializado em Jornalismo Científico), Folha de S.Paulo (Veículo Impresso) e Superinteressante (Veículo Impresso Especializado). A jornalista Paula Felix, repórter de Saúde da Veja, foi eleita a +Admirada.


Siga o Mulheres de 50 no Instagram

Siga o Mulheres de 50 no Spotify

Ouça os episódios no Spotify for Podcasters


Lançado em março de 2020, o podcast Mulheres de 50 é protagonizado por Maria Tereza e suas três irmãs, todas na faixa dos 50 anos. A partir de São Paulo, ela conduz a conversa com Lúcia, 55, médica ginecologista e obstetra em Toledo, no Paraná, a veterinária Marilza, 55, de Naviraí, no Mato Grosso do Sul, e com Sandra, 51, advogada em Curitiba, Paraná. O quarteto costuma receber especialistas para tratar de temas como menopausa (temporada 11, com 10 episódios) e relacionamentos (temporada 12, também com 10 episódios), quando tiram as próprias dúvidas, mas também compartilham suas inquietudes e experiências pessoais.


Menopausa e relacionamentos estão entre os temas mais populares das 12 temporadas


O que significa ser mulher de 50 nos dias atuais? Com esta pergunta, as quatro irmãs lançaram o podcast em 11 de março de 2020, mesmo dia em que foi decretada a pandemia global causada pelo coronavírus. A ideia original era compartilhar experiências sobre saúde, família, lazer, trabalho e também informações e notícias úteis para essa geração de mulheres que, como as quatro irmãs disseram naquele primeiro episódio, se recusam a aceitar a velhice esperada pela sociedade. Para elas, a idade não define como essa mulher contemporânea pensa, age e faz escolhas. Ao longo de 12 temporadas, o podcast conquistou uma audiência primordialmente feminina (95,6% do total), residente no Brasil (88%) e com mais de 35 anos (88%). O conteúdo pode ser ouvido em seis plataformas de áudio, como Spotify, Google Podcast, Apple Podcast e Amazon.


Em sentido horário, da esquerda para a direita, as irmãs Gomes: Tereza, Lúcia, Marilza e Sandra


Desde o princípio, por morarem em cidades diferentes, as irmãs Gomes decidiram usar a plataforma Zoom para gravar o podcast. Em apenas uma ocasião, gravaram no mesmo espaço: isso aconteceu com o centésimo episódio, quando as quatro se encontraram em um estúdio, em Toledo, no Paraná, aproveitando um encontro da família. A íntegra da live pode ser assistida no YouTube da Jabuticaba Conteúdo. “Como somos irmãs, conversamos com uma intimidade muito grande”, diz Tereza. “Nós nos conhecemos, sabemos os pontos fracos de cada uma, conseguimos brincar com isso”, afirma Sandra. “A conversa é informal, como se a gente estivesse na sala de casa”, diz Lúcia. “Completamos mais de 100 horas de conteúdo, aprendemos muito com cada especialista que entrevistamos”, afirma Mel, que destaca a entrevista com Rosaly Lopes, astrônoma, geóloga planetária e vulcanóloga da Nasa, convidada da quinta temporada. “Ela mostrou que, com determinação, as mulheres podem chegar em qualquer lugar.” Entre outras entrevistadas pelo “Mulheres de 50” estão a atriz Virginia Novick, a ex-jogadora de basquete Magic Paula, a estilista Helena Schargel, a dermatologista Katia Volpi e a especialista em etiqueta Célia Leão. O podcast também entrevista homens, como o cirurgião plástico Aristóteles Bersou, o psiquiatra Lucas Farnese, o especialista em carreira Esteban Ferrari e o urologista Marcelo Vieira.


 

Podcast caiu no gosto do brasileiro

Pesquisa publicada em abril pela DataReportal mostrou que o Brasil é o país que mais consome podcast no mundo. De acordo com o estudo, 42,9% das pessoas conectadas à internet por aqui e com idade entre 16 e 64 anos escutam podcast toda semana. Essa quantidade de ouvintes é confirmada pelo Ibope: estimativas anunciadas no início de 2023, mostraram que cerca de 8% de toda a população brasileira (mais de 34 milhões de pessoas) são ouvintes de podcast.


Em novembro, a empresa sueca Spotify, a plataforma mais usada pelos ouvintes do Mulheres de 50, divulgou um levantamento sobre o comportamento dos seus usuários de podcast. O Fan Study mostrou que a maior parte das pessoas ouve podcast durante a semana: 78% dos downloads acontece de segunda a sexta-feira. Outra descoberta é que 8h e 17h, quando os fãs estão de deslocando para e do trabalho, são os dois horários de maior audiência durante a semana.

0 comentário

Comentarios


bottom of page