54 Ideias de sucesso

Atualizado: Out 20

Maria Tereza Gomes, CEO da Jabuticaba Conteúdo, conta como foi a criação do evento Career Fair, em 2005, quando estava na direção da revista VOCÊ S/A




Um pouquinho de contexto.


Eu havia assumido a direção da VOCÊ S/A em janeiro de 2001 com um orgulho imenso e um desafio maior ainda: tornar rentável uma revista que era amada pelos leitores (230 mil exemplares por mês), mas que estava longe de dar a rentabilidade esperada pela a Editora Abril. Ou mudava ou morria. Atuamos em muitas frentes para mudar essa história e, uma delas, foi a criação do evento Career Fair. A inspiração inicial foram os eventos americanos (hoje comuns no Brasil) nos quais as empresas se juntavam numa feira para recrutar talentos. Também tínhamos a exposição, mas o coração da nossa Career Fair era o congresso. Estreamos em 2001 em alto estilo: trouxemos pela primeira vez ao Brasil Ram Charan, o hoje famoso guru da execução. Noutro ano, Domenico de Masi fez uma palestra de três horas, sem powerpoint, sobre a importância do ambiente criativo. Não lembro mais quantas edições realizamos. Outro dia encontrei o mestre da oratória Reinaldo Polito que lembrou com saudades da sua participação. O texto abaixo é um resumo do que melhor foi dito em 2005. Editei o conteúdo com a colaboração da equipe de jornalistas da revista: Anne Dias, Cassio Henrique Utiyama, Daniela de Lacerda, Fabiana Correa, José Eduardo Costa, Juliana de Mari, Marcos Gusmão e Renata Avediani. Sobre o desafio mencionado no começo, acho que tivemos sucesso. Até hoje, junho de 2019, a revista continua aí.

54 Ideias de sucesso

(VOCÊ S/A – Julho 2005)


Domenico. Cortella. Mussak. Max... Você vai ler a seguir extratos das palestras que esses quatro gurus e mais 21 professores de MBA, empreendedores e consultores fizeram durante a Career Fair 2005, nos dias 2 e 3 de junho, em São Paulo.

Setecentos profissionais de várias partes do país acompanharam o evento dedicado a liderança, criatividade, inovação e empreendedorismo. São ensinamentos como os cinco passos para a liderança apresentados pelo filósofo Mario Sergio Cortella:

1. Liberte sua mente: seja flexível, preste atenção no outro, no que ele tem de melhor;

2. Torne sua equipe uma comunidade de trabalho, e não um agrupamento de pessoas;

3. Produza o ócio recreativo, aquele tempo para estimular a criatividade na equipe;

4. Inove: construa o que não existe, ultrapasse o óbvio;

5. Sonhe: não desista, inspire as pessoas.


As 54 dicas estão divididas em três grupos: Construa seu Futuro, Lidere com Alma e Vá Além do Trabalho. Bom proveito!


I - Construa seu futuro

Michelangelo, diz Domenico, só fez a Capela Sistina porque foi capaz de realizar seu sonho. Leia as 20 ideias sobre criatividade que vão ajudar a fazer como ele: ir além da fantasia.


II - Lidere com alma

O líder faz biópsia; o líder é estrábico; o líder toma decisões. Já se disse muito sobre as competências de quem lidera. Saiba aqui quais são as últimas novidades.


III - Vá além do trabalho

O estresse está dominando o ambiente de trabalho no Brasil. Será que há saída para ser mais feliz no trabalho? Reflita com as ideias de Domenico, Waldez e Cortella.


Quem foi ao palco?


Domenico De Masi, Klever Kolberg e André Azevedo, Waldez Ludwig, Arthur Diniz, Roberto Hirsch, Max Gehringer, Eugênio Mussak, Raul Marinho, Kedma Nascimento, Sigmar Malvezzi, Theunis Marinho, Ana Maria Diniz, Mario Sergio Cortella. Participaram do painel de empreendedorismo Luís Alexandre Chicani e Virgínia Marques (Dentalcorp), Mark Barcinsky e Adilson Maia (Propay), Cristiana Arcangeli (PH Arcangeli), Eduardo Ourivio (Spoleto), Pedro Passos (Natura) e Paulo Veras (Endeavor). No painel de liderança, foram entrevistados por Betânia Tanure (Dom Cabral) os executivos Fernando Tigre (Kaiser) e Fernando Terni (Nokia).


I - Construa seu futuro

1. O maior inimigo da criatividade é o julgamento prematuro. Nenhuma ideia é idiota. Quanto mais ideias loucas você tiver, melhor. Arthur Diniz;

2. Criatividade é uma síntese de fantasia com realização. Se ficasse só na fantasia, Michelangelo não teria pintado a Capela Sistina. Domenico;

3. O trabalho intelectual não exige tempo determinado. É híbrido, pois a mente é capaz de fazer três coisas simultaneamente: brincar, estudar e trabalhar. Domenico;

4. A criatividade tem de vencer a burocracia. Domenico;

5. Países que produzem são aqueles que não querem mais produzir bens materiais. As fábricas rendem pouco e custam muito. A hora de um operário italiano custa 24 dólares. Na Coréia do Sul, cai para 4 dólares e na China, 1 dólar. Domenico;

6. Trabalho criativo não tem horário, dia ou noite. Domenico;

7. Uma empresa não funciona se não produzir ideias. Domenico;

8. Inove, construa o que não existe, mas não confunda o novo, que é duradouro, com a novidade, que é a moda, é passageiro. Cortella;

9. Liberte sua mente. Escape dos modelos mentais. Seja flexível, perceba a presença do outro, não tenha certezas. Cortella;

10. É preciso sair da mesmice, correr mais riscos, fugir do lugar comum. É isso que vai assegurar seu sucesso na era da inovação. Já não basta ser perfeito. É preciso ser original. Waldez;

11. Você não precisa descobrir algo que mude o eixo do Universo. Tem de exercitar esse olhar diferenciado no dia-a-dia e encontrar um jeito de fazer mais rápido, mais barato, melhor. Max;

12. Só há um modo de ser mais criativo e inovador: errando mais. E não é tentar errar — é errar mesmo. Quanto mais rápido você erra, mais chance tem de encontrar novos caminhos. Hirsch;

13. Muitas vezes quem ganha o rali não é o melhor, mas aquele que erra menos e que aprende rápido com os erros. Klever/André;

14. Criatividade é um processo de julgamento aberto, cujo resultado é uma ideia original. Inovação é um processo fechado, onde você adiciona conhecimento a uma ideia já concebida. Hirsch;

15. Para sair do quadrado, é preciso descontração, humor e atitude. Primeiro, deve ocorrer a divergência: adiar o julgamento, pegar carona na ideia dos outros, no intuito de melhorá-la, e gerar quantidade. Só depois vem a fase da convergência: julgar afirmativamente, manter o rumo, aceitar o novo e focar na qualidade. Hirsch;

16. Lembre-se: quando você se põe na média, vira um medíocre. Hirsch;

17. Ter prioridades é fundamental, porque não dá tempo de fazer tudo o que se quer. Klever/André;

18. Não basta ter ideias. Elas têm de ser boas, viáveis e interessantes. Klever/André;

19. O pensamento criativo não é algo que surge de maneira voluntária, espontânea. Os grandes inventores insistiram muito numa ideia, trabalharam duro. A maioria das pessoas desiste quando está muito perto de chegar lá. Arthur Diniz;

20. Não dá para fazer sempre as mesmas coisas e esperar resultados diferentes. Troque o relógio de pulso, mude o caminho que faz para o trabalho, sente-se em um lugar diferente. Arthur Diniz.


II - Lidere com alma

21. O líder educador tem quatro características básicas:

  • a equipe sente sua presença;

  • ele tem clareza dos objetivos;

  • as estratégias são construídas em conjunto;

  • ele sonha com a equipe, projeta o futuro no presente. Mussak;

22. O líder tem autoridade moral, escuta sua equipe, sabe negociar, conhece a missão da empresa, tem um estilo informal e é motivador. O chefe manda, controla, o único incentivo que conhece é o monetário, baseia-se exclusivamente em resultados. Mussak;

23. Durante uma crise, o líder pode até ser autoritário. Mas, quando tudo está bem, ele deixa as pessoas agirem por conta própria. Mussak;

24. Liderança é algo nato ou pode ser aprendido? Ambas as coisas. Está na nossa genética, mas também pode ser desenvolvida como uma técnica. Mussak;

25. Tenha a consciência de que você é líder. Kedma;

26. O verdadeiro líder pensa com a alma. Kedma;

27. O líder tem de impedir que sua equipe fique com um grande passado pela frente. Cortella;

28. Faça do trabalho algo divertido. O ambiente profissional é para brincadeiras, sim. Waldez;

29. O líder educador é estrábico: tem um olho nas pessoas e outro nos resultados. Eugênio Mussak;

30. Seja capaz de tornar sua equipe uma comunidade de trabalho, não um agrupamento de pessoas. Mario Sergio Cortella;

31. O líder respeita quem não concorda com ele e acolhe a discordância. Ele sabe que quem discorda obriga a pensar de outro jeito. Cortella;

32. Líder não faz autópsia. Faz biópsia. A autópsia analisa um corpo morto. A biópsia extirpa o que é ruim de um ser vivo para mantê-lo vivo. Cortella;

33. Respeite a diversidade e a saúde da sua equipe. Todos são diferentes, e têm sonhos, comportamentos e limites diferentes. Waldez;

34. Repense o porquê, redefina o quê, reprograme o quando, realoque o onde, recoloque o quem, reinvente o como, reduza o quanto. Waldez;

35. O seu maior desafio não é solucionar um grande problema corporativo. É aprender a lidar com as centenas de pequenos problemas que surgem diariamente. Max;

36. A empresa perfeita tem um grande sonhador, sem o qual a empresa não chega a lugar nenhum. Tem, também, um grande time de “prezados colaboradores”. O melhor líder promove a aproximação desses dois extremos e dá aos “prezados colaboradores” a chance de participar do seu sonho. Max;

37. O que enriquece o trabalho em equipe é a soma das diferenças. Para lidar com as diferenças é preciso equilíbrio e respeito. Klever/André;

38. Se um membro da equipe não tiver consciência da sua importância e desistir, pode colocar todo o meu esforço a perder. Klever/André;

39. Quando o ambiente estiver complicado, não desanime. Pense que também vai estar complicado para os seus adversários. Klever/André;

40. Se não houver serenidade, não dá para tomar decisões e enxergar soluções. Klever/André;

41. Já tive de decidir entre contratar um executivo líder e um executivo fazedor. Escolhi o que executa. Em uma empresa emergente não há espaço para o executivo que só lidera. Ele também tem de saber fazer, botar a mão na massa. Mark Barcinsky.


III - Vá além do trabalho

42. O problema atual da sociedade não é a formação para o trabalho. É a formação para o tempo livre. Dependendo do foco, pode se formar felicidade, prazer, surpresa – ou violência, drogas, depressão. Domenico;

43. Praticar o ócio criativo não é ser preguiçoso. Eu sou muito ativo, mas não sei dizer quantas horas por dia estou trabalhando. Domenico;

44. O ócio é uma ciência. Para praticá-lo, é necessário ter cultura para enriquecer as coisas de significados. Fazer isso resulta na necessidade de se ter menos coisas. Daí, vem a possibilidade de ganhar menos, trabalhar menos, ser menos competitivo. Consequentemente, a chance de ser mais equilibrado e, por que não, mais feliz. Domenico;

45. Pelé cabeceava de olho aberto, olhando para o Sol. Mas ele treinava duas horas a mais do que o resto da equipe. Cortella;

46. Experiência é intensidade, não extensão no tempo. Cortella;

47. Tenha capacidade de produzir o ócio recreativo, ou seja, tenha capacidade de criar de novo, de ter momentos de fruição mental. Cortella;

48. Os Empreendedores do Novo Brasil têm 100% de controle sobre seu destino. Eles assumiram o controle de suas vidas. Marcelo Cardoso;

49. Não planeje sua carreira apenas de hoje para amanhã, mas, sobretudo, de amanhã para hoje. Isso significa “visitar” o futuro, vislumbrar como estará o mercado em que você atua e descobrir o que você deve fazer hoje para garantir seu diferencial lá na frente. Waldez;

50. Esqueça aquela história de se dedicar ao que você gosta. Você tem é que se dedicar aos seus talentos, ou seja, àquilo que as pessoas percebem que você faz melhor do que os outros. Waldez;

51. O que mantém o homem tantas horas preso a sua vida empresarial? Não é o amor pelo trabalho; é o ódio pela família. Domenico;

52. Caráter, integridade e ética são competências cada vez mais valorizadas. Na hora de contratar um novo profissional, isso tudo é avaliado antes da experiência profissional do candidato. Waldez;

53. Homens são anjos com uma asa só. Precisam abraçar o outro para poder voar. Cortella;

54. Não há espaço para quem não leva a alma ao trabalho. Competimos por excelência. E isso é um estado de espírito. Waldez Ludwig.


O novo líder

Para Ana Maria Diniz, diretora da Om bi/Brasil, eis as competências de quem vai comandar as empresas:

1. Ter pensamento estratégico.

2. Ser uma pessoa de cabeça aberta, sensível.

3. Falar a verdade e ter coragem de divergir, sabendo respeitar opiniões diferentes para compartilhar ideias.

4. Ter iniciativa e alta produtividade.

5. Ser capaz de tomar decisões no tempo certo e saber explicá-las à equipe.

6. Desenvolver a autoestima do time.

7. Se colocar na posição do dono da empresa.


Altruísmo recíproco

Raul Marinho, consultor em Brasília e colunista do site da VOCÊ S/A, lançou seu primeiro livro durante a Career Fair. Segundo Raul, Prática na Teoria - Aplicações da Teoria dos Jogos e da Evolução aos Negócios (Editora Saraiva), trata de uma nova visão nos negócios.

“A ideia é que o benefício de um implica o benefício de outro, e que é necessário premiar o comportamento amigo e punir os atos de traição". O livro é baseado na teoria dos jogos, de John Naschling, e da evolução, de Charles Darwin.


As horas

Como Domenico De Masi diz que usamos o tempo:

  • Dos 20 aos 60 anos, você viverá 530 000 horas. Usará só uma pequena parte no trabalho. "O problema é que ninguém nos ensina a viver o tempo livre", diz Domenico.

  • 220 000 horas vão para as necessidades fisiológicas;

  • 80 000 horas são de trabalho;

  • Sobram 230 000 de tempo livre.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo